Planos de Saúde

Um dos assuntos mais importantes, urgentes e necessários em qualquer sociedade humana é a saúde. Afinal, todo ser humano precisa de uma boa saúde para exercer ativamente suas capacidades – a falta de saúde gera apenas incômodo, desconforto e perigo, não apenas para o doente, mas também para os seus próximos, que se compadecem do estado de saúde do amigo ou parente.

Logo, é muito importante pensar na Saúde como uma política pública de primeira importância. Os governantes geralmente não pensam na Saúde com o grau de carinho e importância que realmente deveriam. Isso gera muitos problemas, e é possível imaginar o que problemas na área de Saúde podem causar. Epidemias, avanço de doenças, falta de cuidado com os doentes, etc. Tudo com o que o brasileiro está acostumado, infelizmente, em se tratando de Saúde.

Planos de Saúde nos Estados Unidos

Nos EUA, por exemplo, o presidente Barack Obama está tentando implementar uma reforma radical do sistema de saúde. Nos EUA, o tratamento não é público, sendo realizado pelas inúmeras empresas que gerem planos de saúde. Isso deixa de fora mais de 40 milhões de pessoas que não têm condições de pagar um plano com cobertura decente. A ideia de Obama é estatizar boa parte do sistema de saúde, mirando-se em exemplos como os da Inglaterra e do Canadá.

A iniciativa está causando muita discussão, pois nos países citados a cobertura estatal é ruim e muito burocratizada. Os esforços de Obama para convencer o eleitorado de que sua solução é a ideal têm surtido efeito, mas os protestos continuam. Incrível é pensar que, aqui no Brasil, a dependência do sistema público de saúde é muito grande.

Ainda assim, a abertura de maiores condições de concorrência gerou uma queda nos preços dos planos de saúde em nosso país. O problema é que ainda são poucos os que podem pagá-lo, pois as coberturas são, em geral, muito pequenas ou muito dispendiosas. Por isso, é bom conhecer bem o que é um plano de saúde antes de contratar um.

O que é um plano de saúde

Um plano de saúde é, geralmente, um contrato firmado entre uma empresa e um cliente, onde se define uma mensalidade a ser paga pelo cliente e um conjunto de serviços de saúde a serem disponibilizados pela empresa. Um plano de saúde deve, portanto, prever um sem-número de casos clínicos, desde atendimentos de rotina até cirurgias mais complexas.

Inúmeras empresas provêm planos de saúde no Brasil. Algumas das mais conhecidas são a Unimed, a Medial Saúde e a SulAmérica. As líderes de mercado geralmente contam com parcerias com empresas privadas, que são obrigadas por lei a fornecer planos de saúde a seus funcionários (claro, se forem contratados no regime da CLT).

Evidentemente nem todo plano de saúde contemplará todas as moléstias e procedimentos cirúrgicos possíveis – o que às vezes pode causar revolta nos clientes. Como saber antes qual doença vai ocorrer com alguém da família, para poder se precaver no plano de saúde?

Como escolher um bom plano de saúde

É necessário pensar sempre nas pessoas que serão contempladas no plano de saúde. Por exemplo: se alguém da família tiver câncer, ou predisposição a desenvolver câncer, seria pouco inteligente fazer um plano de saúde que não tivesse oferta de quimioterapia. Bem como é necessário um grande número de consultas médicas quando se tem crianças pequenas – nesse caso um bom plano de saúde é aquele que permite ao cliente uma boa quantidade de consultas médicas, principalmente de pediatras.

Além disso, é necessário pensar a relação custo-benefício. Um plano de saúde mais caro pode oferecer lipo-aspiração e vacina contra o Ebola, mas será que você realmente precisa disso? Adequar o bolso, a necessidade e a possibilidade de vir a precisar de algo que o plano contempla; eis os requisitos para não gastar dinheiro em vão com planos de saúde ruins ou inadequados.

Carência dos planos de saúde

Ao se fazer um plano de saúde, é muito bom ficar atento ao período de carência. Para quem não sabe o que é carência, trata-se simplesmente de um tempo após a contratação do plano de saúde que deve ser aguardado pelo paciente para a realização de certos procedimentos. Por exemplo: o tempo de carência para consultas simples é de 15 dias, logo, somente após passados os 15 dias a partir do ato da contratação pode-se marcar uma consulta coberta pelo plano.

Pode parecer injusto, mas é uma forma que as empresas de planos de saúde têm para resguardar seu movimento financeiro. Além disso, diversos planos são de carência zero, justamente para atrair mais clientes. Mas cuidado: nem sempre esses planos são os melhores ou mais confiáveis. Todas as dicas acima continuam valendo nesses casos.

Além disso, um prazo muito grande de carência pode ser ilegal. Consulte a legislação específica para não ser lesado.

Outra coisa importante é saber de uma mudança na recente na lei: a portabilidade de carência. Caso a pessoa queira trocar seu plano de saúde, não precisará mais cumprir o prazo de carência do novo plano de saúde, desde que tenha ficado pelo menos dois anos com o antigo. Além disso, a troca deve se dar sem qualquer inadimplência e para um plano compatível com o antigo.

Planos de saúde com reembolso

O nome pode parecer estranho, mas é simples de entender: planos de saúde que preveem reembolso funcionam do seguinte modo: oferecem ao cliente a possibilidade de pagar em dinheiro aos médicos e hospitais para depois pedir o reembolso do valor gasto diretamente ao plano de saúde.

Planos deste tipo são mais caros, pois permitem um maior número de procedimentos e consultas (pois alguns médicos não atendem via planos de saúde). Para conseguir o reembolso, basta seguir as normas de cada plano, mas geralmente é pedido um comprovante com o carimbo do médico, que deve conter nome completo, especialidade e número do CRM (Cadastro Regional de Médicos).

Preciso de um corretor de planos de saúde?

Antigamente era comum a procura por um corretor de planos de saúde, que funcionaria no mesmo esquema de um corretor de imóveis: apresentaria ao interessado os diversos planos existentes, providenciaria sua inclusão em um deles e aconselharia sobre qual plano se adequaria melhor às necessidades do cliente.

Embora isso ainda seja praticado, a função do corretor de planos de saúde é mais buscar novos clientes do que realizar a apresentação para clientes já interessados. Estes podem consultar até mesmo a internet para saber qual plano é o melhor, pois todos os procedimentos e consultas são unificados e os preços estão disponíveis nos sites e nas sedes de cada uma das operadores de planos de saúde.

Ou seja, não é necessário procurar um corretor, mas pode ser que um deles entre em contato para tentar vender-lhe um plano. Nesse caso, é necessário tomar cuidado para não comprar gato por lebre, ou pagar uma quantia exagerada para um uso pequeno do plano. Novamente, valem todas as dicas acima.

Outras dúvidas sobre planos de saúde

Em alguns planos haverá a referência a “doenças pré-existentes”, principalmente ao informar os períodos de carência. Doenças pré-existentes nada mais são do que problemas de saúde que o contratante já apresenta no ato da contratação – seja uma doença crônica ou uma situação hospitalar.

É impressionante pensar que, até pouco tempo atrás, se alguém apresentasse uma doença desse tipo poderia ficar até 2 anos sem poder utilizar o plano de saúde, devido ao tempo de carência e, pior ainda, caso quisesse trocar de plano, mais dois anos deveriam ser aguardados. Com a portabilidade de carência, isso mudou para melhor. Assim, as pessoas com doenças crônicas não estão mais presas a um plano, e podem mudar sem ter de esperar anos pelo atendimento.

Outra dúvida comum é sobre os nomes de dois procedimentos: atendimento em apartamento ou enfermaria. Parece a mesma coisa, mas não é. Normalmente, planos fazem a distinção da seguinte maneira: cobertura por apartamento dá direito a, durante a internação, um quarto privativo com a presença de um acompanhante, com banheiro privativo.

No caso da enfermaria, o cliente ficará internado com no máximo outras três pessoas, e o direito a acompanhante só se dá se o internado tiver menos de 18 ou mais de 59 anos. Nem é preciso dizer que planos que oferecem apartamento costumam ser mais caros do que os de enfermarias.

Além disso, há o que é chamado de “remoção”. Ou seja, a transferência de um paciente de um hospital para outro em caso de necessidade, como a ausência de equipamentos apropriados ou condições específicas para a internação. Neste caso, planos que cobrem a remoção fazem a transferência gratuitamente para outro hospital parceiro da rede. Não é necessário dizer o quão benéfico isso é para o paciente, chegando ao extremo de poder salvar muitas vidas.

O que se pode fazer para melhorar o plano de saúde?

Muitas pessoas se perguntam se, ao pagar mensalidades adiantadamente, o plano de saúde pode reduzir o tempo de carência. Isso não acontece. Afinal, caso isso acontecesse, a maioria dos clientes guardaria o dinheiro e pagaria somente quando necessitasse de um procedimento. Se uma quantidade considerável fizesse isso, a operadora do plano quebraria financeiramente.

Outra pergunta muito frequente é: como o plano de saúde saberá se tenho esta ou aquela doença? Bom, na maior parte dos casos é a auto-declaração. É tentador não avisar sobre nada, para não elevar o valor do plano e não cair em altos prazos de carência. Mas caso a operadora descubra, você terá de arcar com as consequências legais. E isso não é bom – evite mentir ou omitir qualquer coisa, pois eles podem descobrir futuramente.

Tipos de planos de saúde

Há, basicamente, três tipos de planos de saúde: individual, familiar e empresarial.

No plano individual, o cliente paga um valor para a utilização, única e exclusivamente dele, de alguns procedimentos e/ou consultas. Nesse caso, somente o titular da conta deve pagá-la e utilizar-se dos serviços. Costuma ser mais barato devido ao perfil do contratante: normalmente solteiro, entre 25 e 50 anos, que trabalha em alguma empresa que não dá plano de saúde.

No plano familiar, como é evidente pelo nome, um cliente estabelece um plano que irá contemplar também os membros de sua família – cônjuge, filhos e eventualmente até pais. A utilização por parte dos familiares está condicionada a uma série de fatores. Por exemplo: os filhos podem usar o plano até os 21 anos completos, ou 24 caso sejam universitários. São mais caros, mas têm o benefício de contemplar toda a família – ou só um merece saúde?

No plano empresarial, uma empresa contrata um serviço de saúde padronizado para seus funcionários, que o recebem como parte do contrato de trabalho. Neste caso, o plano é extendido à família do funcionário, com características similares às dos planos familiares. A única diferença é evidente: caso o funcionário perca o emprego, deve passar a pagar o plano, desistir dele ou migrar para outro, seja na mesma operadora, seja em outra.

Empresas de planos de saúde

  • Amil Saúde
  • Avimed
  • Amesp
  • Ameplan
  • Blue Life
  • Bradesco Saúde
  • Dix amico
  • Unimed
  • Samcil
  • Medial
  • Intermédica
  • Interclinicas
  • Sul Ámérica
  • Green line
  • Itálica
  • Lumina Saúde
  • Golden Cross
  • São Cristovão
  • Transmontano
  • Santa Amalia
  • Prevent Senior.
  • Royal
  • Medicol
  • Celebrity
  • Sim
  • Seisa
  • Med-Tour
  • Omint
  • Serma

Para saber mais sobre planos de saúde:

Consulte a legislação sobre planos de saúde: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9656.htm

2 comentários no artigo “Planos de Saúde”

  1. http://bloqpolivalente.blogspot.com/ on outubro 14th, 2009 at 11:05

    voces conhecem amigos e parentes que esteja endividado,sem casa para morar, ou problema de saude? Se responder sim, me procure.
    (a mente que abre a uma nova ideia, jamais voltara ao seu tamanho original.)

  2. Voz de prisão a certos planos de saúde no Brasil.
    Com muita revolta e indignação venho reproduzir esse manifesto. Por minha própria vontade não optei por cartas, petições e protocolos com numeração de leis. Até porque, não dão resultado, são insuficientes no que desrespeito ao direito do consumidor e do cidadão. Claro que só posso estar falando de Plano de saúde, qual outra atividade causa mais repúdio para população.
    Sei que uma infinidade de pessoas vem sofrendo com esses bandidos, essas escórias da humanidade. Os senhores donos de empresas privadas que oferece plano de saúde com o esquema montado, uma rede de propinas mancomunada com setores do governo, pagando fortunas para seus advogados. Compram quem quer que seja nos tribunais. O cidadão que pagou seu plano de saúde todo o mês com sacrifício, dando um duro danado para não atrasar nenhuma prestação.
    Um belo dia chega uma carta da administração.
    - senhor; viemos comunicar-lhe que seu plano de saúde faliu!
    - como assim?
    - senhor, nossa empresa declarou falência.
    - como posso reaver meu dinheiro.
    Escuta o telefone batendo e tenta ligar de volta para a operadora.
    - esse telefone não existe, tente a lista telefônica.
    Mas existe o PROCON… A promotoria pública… E ninguém vai preso. Nenhum ressarcimento de dinheiro, quando há algum, significa um terço do que você pagou. Existem outros golpes dos planos também, ou seja, você paga tudo direitinho, mas no sistema costa como em aberto – o senhor deve quatro meses, se o senhor não pagar até… Vai pagar com juros.
    Na minha santa ignorância penso; que esse tipo de golpe é caso de policia. Vejo todo dia camelô sendo preso, estelionatário, traficante. E nunca vi um só bandido ligado a empresas de plano de saúde na cadeia. A policia civil e Federal, tem várias operações contra quadrilhas criminosas, mas também nunca vi, por exemplo; operação eutanásia contra quadrilhas dos donos de planos de saúde, se quer, alguém indiciado, preso, algemado, que absurdo! Parece-me que a policia só dá cartaz, se for bandidão do trafico, contrabandista, colarinho branco, isso se o cara for famoso, ou já tenha aparecido na televisão ou jornal. Enquanto os safados dos planos de saúde trafegam impune. Onde anda a secretária de saúde que não faz uma varredura nessas empresas? Estou farto e cansado, em cinco anos já tive dez planos de saúde que faliram ou estão com faturas em aberto. Estive no PROCON, mas estou com insuficiência de documentos, tenho que levar uma tonelada de faturas pagas para provar minha boa conduta. O problema é que são tantas; que pretendo alugar um caminhão para levá-las. As autoridades competentes que façam alguma coisa!
    Ass, Oswaldo Cruz

Deixe um comentário